Publicado em

Um emaranhado de fios e agora?

Sim, em um mundo onde tudo está girando em torno de smartphones, tablets, notebooks, roteadores e outros eletrônicos que nos colocam como consumidores de informação principalmente através das redes sociais. O brasileiro gasta 650 horas por mês navegando em redes sociais, 290 horas a mais do que em portais de notícias, ou seja, as redes sociais alcançaram 70% do total de usuários no Brasil. Pois é, e esse nosso hábito requer organização, afinal são tantos carregadores que precisamos usar durante o dia que as vezes eles se transformam em um emaranhado de fios e isso não contribui para a organização da sua casa.Organização da casa também faz parte de um projeto de design de interiores e como amamos te ensinar design de interiores, vamos sugerir algumas dicas para acabar de vez com o emaranhado de fios que bagunçou sua casa. Vamos lá?

1- Etiqueta e organização em baixo da bancada

Nada melhor para você localizar o fio do que escrever qual eletrônico ele pertence.

Depois instale um suporte bem abaixo da bancada para segurar uma régua elétrica para que você ganhe mais pontos de energia que ficarão escondidinhos.

2- Dentro de uma caixa

Esconda a régua dentro de uma caixa (que seja segura no caso de um curto circuito). As tomadas de todos os eletrônicos entrarão pela mesma entrada da caixa, deixando os fios organizados e na mesma posição e do outro lado sairá a tomada. Simples, prático, rápido e bonito =)

3- Suporte para a régua criativo

Essa ideia é super criativa e deixa o móvel bem charmoso. Criar uma “bolsa” externa afixada no móvel para apoiar a régua. De fácil acesso, se você escolher uma estampa tão lindinha quanto essa, seu projeto vai ficar encantador. Lindo não?

4- Camuflar os fios e torna-los decoração

Se não pode viver sem eles, junte-se a eles. Essa ideia transformou os fios em parte da decoração do quarto quando eles se incorporam ao adesivo de parede! Super original e muito fácil de fazer.

5- Móveis e gavetas

Usar as gavetas para armazenagem. Super original e fácil de fazer.

E aí, o que você achou? Gostou? Não? Então, deixe um comentário. :-)

Pesquisa: 6i.com.br | decorarcomcharme | Pinterest | ikea

Fonte: Deadline Marketing

Um emaranhado de fios e agora?

Publicado em

Design de interiores ou Decoração? Técnico/ Tecnólogo/ Bacharel, qual é o melhor para as minhas necessidades?!

Você já pensou em transformar sua paixão por design de interiores em uma profissão?

Para trabalhar nesta área, que tem um leque de oportunidades para atuar, você primeiro precisa escolher um Programa de Ensino, um curso que te capacite para exercer esta profissão. E são muitos que existem.

Os iniciantes na área, tem muitas dificuldades de entender o que, de fato faz o designer de interiores e o decorador. E muitos não sabem qual modalidade de ensino escolher para se tornar um profissional, se é melhor curso técnico ou bacharel por exemplo.

Então, antes de você se jogar nesta profissão, preparamos este guia que vai explicar tudo o que você precisa saber para se tornar um designer de interiores ou decorador, obtendo uma carreira promissora elaborando projetos encantadores que vão surpreender seus clientes e você claro, ser recompensado por isso.

As pessoas com paixão por decoração, a primeira coisa que fazem é ir em busca de um curso, e então se depara com os temas design de interiores e decoração de interiores. Aí vem a dúvida: "Mas, qual é a diferença em fazer um e outro?" E mais ... "Qual deles eu preciso afinal?"

Bom, os decoradores se concentram na estética, com o foco na superfície do espaço. Ele vai trabalhar digamos, com a maquiagem do ambiente. Isso significa que você vai trabalhar em cima dos ambientes que já tem piso, g esso no teto, instalação elétrica pronta. Você então vai definir um estilo para o ambiente, selecionar as tintas para paredes, escolher as luminárias, os tecidos e padronagens para os sofás, roupa de cama e cortinas por exemplo, selecionar e dispor tapetes e arranjos de quadros nas paredes e reposicionar os móveis de lugar, fazendo uso, claro, dos princípios da organização dos elementos no espaço para deixá-lo mais harmonioso.

Para realizar esta profissão, o decorador não precisa ter um curso formal, porque ele não trabalha com elementos estruturais, quebras de materiais. Porém isso não quer dizer que você não precise realizar cursos para se aperfeiçoar na área. A não ser, claro, que você já tenha experiência, seja autodidata. Aí sim você pode atuar tranquilamente sem precisar fazer nenhum curso.

Já, os Designers de interiores além do trabalho dos decoradores, eles também reconstroem o espaço, através da releitura do layout, e de intervenções. Realizam projetos de iluminação e gesso, criando efeitos cênicos, aplicam revestimentos nos pisos e paredes, auxiliando o arquiteto, ou engenheiro, a resolver os espaços da edificação, porque é o designer de interiores que melhor entende das necessidades do cliente, referente ao interior, então é ele quem complementa o fechamento da obra. Em outras palavras, se o cliente quer alterar o revestimento do piso, alterar gesso, retirar ou colocar paredes, quer móveis sob medida, além, de somente maquiar o espaço, ele vai precisar de um designer de interiores.

O trabalho envolvido inclui desde o atendimento do cliente, planejamento do espaço, desenho de móveis, projeto de iluminação e de gesso e paginação de piso. Trabalham em estreita colaboração com arquitetos (ou engenheiros) no que tange a parte estrutural da obra, e com empreiteiros (gesseiros, marceneiros e pintores,) que o ajudam na execução dos projetos.

Ah, antes que eu me esqueça. Muitas pessoas confundem design de interiores com designer de interiores, trocando suas funções, mas é importante saber a diferença para não gerar conflitos de significados. Design é o serviço em si. Ex.: Eu trabalho com design de interiores. Já designer é o profissional que executa o serviço. Ex.: Eu sou designer de interiores.

Algumas escolas ainda confundem os cursos, ofertando cursos de decoração como sendo de design de interiores. Os cursos de design de interiores são cursos formais e isso quer dizer que só podem ser ofertados, se forem reconhecidos pelo MEC e secretaria de educação do estado e que tenham carga horária mínima de 800h. Então se você encontrar um curso de design de interiores menor que 800h, caia fora.

Para poder atuar no mercado de trabalho existem 4 modalidades de cursos de design de interiores:

Cursos Técnicos, Tecnólogos, Bacharel e Pós-Graduação. E aí vem a dúvida!! O que é melhor fazer? E mais, qual deles se encaixa nas minhas necessidades? O fato é que todos têm vantagens e desvantagens e tudo vai depender do objetivo que você quer alcançar.

Com a Regulamentação da profissão, através da LEI Nº 13.369, DE 12 DE DEZEMBRO DE 2016, não há distinção entre as atribuições profissionais de alunos de cursos técnicos, tecnólogos ou bacharel. Isso quer dizer, que a Lei reconhece o título de designer de interiores, independentemente da formação.

Se você opta por um curso acadêmico, no seu contexto sócio econômico e cultural, onde o conteúdo é trabalhado com uma visão mais teórica, voltado a pesquisas científicas e você deseja atuar no meio acadêmico, você deve escolher o Bacharel. Dura na faixa de 4 anos, os valores praticados são mais altos e a carga horária gira em torno de 2.400 h. 

Se você deseja atuar no mercado de trabalho, você deve escolher os cursos técnicos ou tecnólogos.

O tecnólogo dura em torno de 2 a 3 anos, tem carga horária mínima de 1.600 horas, você pode fazer pós graduação.

O curso técnico tem duração média de 1 ano, com carga horária mínima de 800h, você pode fazer pós graduação caso já tenha graduação em alguma área realizada anteriormente.

Todos os cursos, tantos técnicos como tecnólogo possuem as mesmas atribuições para atuar profissionalmente, porém, somente algumas escolas podem oferecer o Registro Profissional aos seus alunos. 

A pós-graduação dura em torno de 1 ano e meio, tem carga horária aproximada de 450 horas, sendo um curso que trabalha o design de interiores com foco em conhecimentos específicos de importância relevante para o aluno atuar em um segmento no mercado.

A pós-graduação em design de interiores só poderá ser utilizada para atuar profissionalmente, se o aluno obtiver conhecimentos comprovatórios prévios em design de interiores.

Opte sempre por cursos reconhecidos, e que ofereçam vinculação com órgãos de classe como a ABD – Associação Brasileira de Designers de Interiores e Registro Profissional no CFT, que dá suporte no atendimento e supervisão do trabalho do designer de interiores. Estas credenciais vão te proporcionar a credibilidade que o cliente exigirá na hora do cliente escolher você para realizar o projeto dele.

Todas essas opções capacitam você a se tornar um(a) designer de interiores.

Porém, o fato dos cursos técnicos e tecnólogos serem focados para o mercado de trabalho, não significa que você terá uma carreira bem sucedida. Apesar de parecer exagero, existe sim uma coisa que faz toda a diferença entre o Programa de Ensino que tem um sucesso surpreendente na formação dos alunos e programa de ensino frustrante. Saiba Mais, clique aqui.

Abraço,

Dayane K. Comellini Arq./Mentora Cursos IBDI

Ajudamos pessoas com paixão por design de interiores, pessoas como você, a descobrir como é fácil aprender habilidades profissionais desta área estudando conosco.

Design de interiores ou Decoração? Técnico/ Tecnólogo/ Bacharel, qual é o melhor para as minhas necessidades?! ibdi